quarta-feira, fevereiro 05, 2003

if you want blood (you've got it)

Hoje fui doar sangue! Sou um cara legal! A mulher fez todas aquelas perguntas invasivas a meu respeito e ainda pediu pra ver as dobras dos meus braços pra ver se eu me picava.

Depois cheguei na sala de picar total e tinha tão poca gente que eu tive a liberdade de escolher lugar, e escolhi no corredor da loirinha gatinha. Mas ela nem falou comigo direito, só que "uma doação pode ajudar até quatro pessoas!" toda empolgadinha! eh engraçado!

Quando o cara enfiou aquela agulha no meu braço e eu senti aquela dor, e logo em seguida vi o cara do outro lado tendo o sangue colhido numa espécie de tubo de ensaio pra fazer exames, para onde o sangue jorrava em pequenos jatos, foi que eu percebi que eu jamais me picarei! Tava doendo altas, e meu braço tava ficando roxo e formigava. Eu num lembro de isso ter acontecido nas outras doações.

Não me imagino pegando uma seringa com a mão direta, amarrando meu braço, dando petelecos na minha veia (que é bem saltada, ela aparentemente curte uma agulha) do braço esquerdo e depois furando essa veia com a agulha. Depois dando uma puxadinha no embolo para checar e enfim empurrá-lo pra deixar o líquido do prazer neurológico entrar no meu sangue.

É um processo que não me apetece. E se eu errei em algum detalhe da descrição, foda-se. Afinal num tem chance de fazer errado, já que não vou fazer.

Eu não curto muito a dor mesmo e tudo mais. E também nao curto ver acidentes de perto e morro de aflição ao ver cirurgias no Discovery e no People & Arts. Quanto mais ao vivo. Mas ao mesmo tempo existe uma curiosidade mórbida, eu freqüênto o rotten.com . E tb já vi uns videos na net do naipe do Faces da Morte (alguns pareciam bem falsetas). E também, sei lá, to ajudando quatro pessoas! Uhuuu! A própria mocinha falou. É algo relativamente simples de fazer pra poder ajudar o peso na consciência de ter ignorado outras pessoas em necessidade. Ao menos uma caridade eu faço.

Sem comentários: