sábado, julho 10, 2004

2000 ad

Hoje li uma história do Juiz Dredd em que ele prendia um criminoso que tinha um equipamento de "dobra temporal"; permitia que ele esticasse o tempo em torno dele, assim, horas para ele seriam apenas alguns segundos para nós. Desse jeito ele conseguia realizar crimes como se fosse invisível e extremamente veloz.

Esse é um tipo de dispostivo que eu sempre quis ter. Como numa conversa com o Nisfer há muito tempo, seria na verdade um controle remoto do tempo. Onde eu poderia pausar, acelerar ou rebobinar à vontade. Como num DVD, poderia pular direto para cenas específicas e também colocar bookmarks nos momentos mais interessantes. Assim a vida seria um eterno aproveitamento de momentos. Eu não poderia alterar o tempo, nem pular para um tempo onde eu ainda não tenha vivido. Caso eu voltasse ao passado, estaria dentro de meu próprio corpo, mas incapaz de interagir de maneira diferente, não teria controle sobre mim; como em Quero ser John Malkovich seria apenas um espectador, nesse caso, dentro de meu próprio corpo.

Parece saudosista demais, mas não seria apenas para você reviver os melhores momentos. Mas nem tanto por isso, o recurso de pause seria de grandissíssima valia. Eu poderia estar em qualquer lugar em instantes, distâncias seriam totalmente insignificantes, jamais sentiria saudades de ninguém. Fora que manipulando essa ferramente corretamente, eu poderia ganhar uma grana boa. Eu iria aproveitar a vida como jamais seria possíel.

1 comentário:

usrejects disse...

Se vc arrumar um desses, me diz onde comprou que eu tb to interessado!