terça-feira, março 15, 2005

agridoce

agridoce

Em 1995, quando me mudei de SP para BH, achei tudo uma bosta. Mas era tudo uma questão de medo do desconhecido. Eu não tinha a menor idéia do que era Belo Horizonte. E estava triste por deixar meus amigos de tantos anos para trás.

Mas em BH, rapidamente encontrei amigos que nunca vou esquecer. Que me acolheram e me mostraram coisas muito legais e com quem partilhei ótimos momentos. Ainda por cima em uma época em que sua identidade própria começa a se formar.

E então tive que voltar para SP. E eu odiei muito. Mais do que da primeira mudança. Não só eu sentia falta dos meus amigos, como também dos lugares em que íamos, das situações únicas que eu tinha em BH.

E voltei. E odiei mesmo. A adaptação foi muito mais lenta. Foram tempos difíceis. Sentia falta de companheirismo, das situações inusitadas, do sentimento de espontaneidade que tinha em BH todos os dias. Sempre buscava isso aqui, e só me decepcionava. Me decepcionava com tudo e todos. Inclusive comigo mesmo.

Mas ao mesmo tempo fui crescendo. E conheci melhor antigas figuras, e passei a explorar mais a cidade. Passei a conhecer SP, a entender de onde ela veio, porque ela é assim, o que ela tem de bom e o que ela tem de ruim. Passei a amar essa cidade. Amar vê-la, andar por ela, sentí-la todos os dias. Tanto quanto amava Belo Horizonte.

E meu coração ficou dividido. Consegui estabelecer aqui uma rede de amigos e conhecidos que me davam um gosto por aproveitar a cidade. Mas SP não era BH, e nunca seria. Mas como posso colocar uma acima da outra? Em diferentes momentos quero diferentes sentimentos.

E agora estou indo pra BH. O plano é ir pra ficar, ou ao menos tentar isso ao máximo. Eu preciso mesmo de uma mudança drástica, estou precisando há uns dois anos, e estou grato por isso. Mas foi então que pesou o tanto que SP é legal. Eu me fudi muito aqui. Mas não culpo a cidade. Também me dei bem aqui em outras ocasiões. Como posso esquecer?

O mais engraçado de tudo é que no sábado SP me apresentou uma situação muito típica de minhas experiências em BH. Isso já aconteceu antes várias outras vezes, mas o fato de ter acontecido com tanda proximidade da minha partida é que deixou a marca.

Claro que estou fazendo tempestade n'um copo d'água, mas quem se importa? Só estou melancólico por estar partindo. Mesmo visitando sempre, não é a mesma coisa do que viver.

Vou sentir falta de tanto e de tantos (mesmo aqueles de quem já estou distante).

1 comentário:

usrejects disse...

You'll be missed here too! =O
E quero so ver, agora vou ter que ir pra BH visitar, vai ser uma nova conta no meu orcamento! ;)